sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O gigante não esta mais adormecido - Da serie: (PUBLICITÁRIOS ADORAM A HORA DO COMERCIAL)

No início dos tempos, na parte sul das Américas, habitava um gigante. Um dos poucos que andavam sobre a Terra.
Gigante pela própria natureza, e sendo natureza ele próprio, era feito de rochas, terra e matas, que moldavam sua figura. Pássaros e bichos pousavam e viviam em seu corpo e rios corriam em suas veias. Era como um imenso pedaço de paisagem que andava e tinha vontade própria.
Caminhava com passadas vastas como vales e tinha a estatura de montanhas sobrepostas. Ao norte, em seu caminho, encontrava sol quente e brilhante nas quatro estações do ano. Ao sul, planaltos infindáveis. A oeste, planícies e terras cheias de diversidade. E a leste, quilômetros e quilômetros de praias onde o mar tocava a terra gentilmente, desde sempre. Havia também uma floresta como nenhuma outra no planeta. Tão grande, verde e viva que funcionava como o pulmão de todo o continente à sua volta.
Mesmo diante de tudo isso, um dia, enquanto caminhava, o gigante se inquietou. 
Parou então à beira-mar e ali, entre as águas quentes do Atlântico e uma porção de terra que subia em morros, deitou-se. E, deitado nesse berço esplêndido, olhou para o céu azul acima se perguntando: "O que me faz gigante?". 
Em seguida, imaginando respostas, caiu em sono profundo.
Por eras, que para os gigantes são horas, ele dormiu. Seu corpo gigantesco estirado, o joelho dobrado formando um grande monte, uma rocha imensa denunciando seu torso titânico e a cabeça indizível, coberta de árvores e limo. 
Dormiu até se tornar lenda no mundo. Uma lenda que dizia que o futuro pertencia ao gigante, mas que ele nunca acordaria e que o futuro seria para ele sempre isso: futuro. 
No entanto, com o passar do tempo ficou claro que nem mesmo as lendas devem dizer "nunca".
Depois de muito sonhar com a pergunta sobre si, o gigante finalmente despertou com a resposta.
Acordou, ergueu-se sobre a terra da qual era parte e ficou de frente para o horizonte. 
Tirou então um dos pés do chão e, adentrando o mar, deu um primeiro passo.
Um passo decidido em direção ao mundo lá fora para encontrar seu destino.
Agora sabendo que o que o faz um gigante não é seu tamanho, mas o tamanho dos passos que dá.

Não deixem de ver o comercial principal da campanha, criada pela Neogama/BBH.



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Aprenda com os cães



Se um cão fosse seu professor, você aprenderia coisas assim: 
Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro.
Nunca perca uma oportunidade de ir passear de carro. 
Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto. 
Mostre aos outros que estão invadindo o seu território. 
Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar. 
Corra, pule e brinque todos os dias. 
Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem. 
Não morda quando um simples rosnado resolve a situação. 
Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore. 
Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo. 
Não importa quantas vezes o outro te magoa, não se sinta culpado...volte e faça as pazes novamente. 
Aproveite o prazer de uma longa caminhada. 
Se alimente com gosto e entusiasmo. 
Coma só o suficiente. 
Seja leal. 
Nunca pretenda ser o que você não é. 
Se você quer se deitar embaixo da terra, cave fundo até conseguir.
E o mais importante de tudo... Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio, fique por perto e Mostre que você está ali para confortar. 
A amizade verdadeira não aceita imitações!



terça-feira, 11 de outubro de 2011

Os nus e os mortos

“As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas”. Norman Mailer. Copiem. Decorem. Aprendam.

Temos a mania de achar que amor é algo que se busca. Buscamos o amor em bares, buscamos o amor na internet, buscamos o amor na parada de ônibus. Como num jogo de esconde-esconde, procuramos pelo amor que está oculto dentro das boates, nas salas de aula, nas plateias dos teatros. Ele certamente está por ali, você quase pode sentir o seu cheiro, precisa apenas descobri-lo e agarrá-lo o mais rápido possível, pois só o amor constrói, só o amor salva, só o amor traz felicidade.
Amor não é medicamento. Se você está deprimido, histérico ou ansioso demais, o amor não se aproximará, e, caso o faça vai frustrar suas expectativas, porque o amor quer ser recebido com saúde e leveza, ele não suporta a idéia de ser ingerido de quatro em quatro horas, como antibiótico para combater as bactérias da solidão e da falta de autoestima. Você já ouviu muitas vezes alguém dizer:
“Quando eu menos esperava, quando eu havia desistido de procurar, o amor apareceu”.
Claro, o amor não é bobo, quer ser bem tratado, por isso escolhe as pessoas que, antes de tudo, tratam bem de si mesmas.

“As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas”. Norman Mailer. Divulguem. Repitam. Convençam-se.     

O amor, ao contrário do que se pensa, não tem que vir antes de tudo: antes de estabilizar a carreira profissional, antes de viajar pelo mundo, de curtir a vida.
Ele não é uma garantia de que, a partir do seu surgimento, tudo o mais dará certo.
Queremos o amor como pré-requisito para o sucesso nos outros setores, quando na verdade, o amor espera primeiro você ser feliz para só então surgir diante de você sem máscaras e sem fantasia.
É esta a condição. É pegar ou largar.
Para quem acha que isso é chantagem, arrisco sair em defesa do amor: ser feliz é uma exigência razoável e não é tarefa tão complicada.
Felizes aqueles que aprendem a administrar seus conflitos, que aceitam suas oscilações de humor, que dão o melhor de si e não se autoflagelam por causa dos erros que cometem.
Felicidade é serenidade. Não tem nada a ver com piscinas, carros e muito menos com príncipes encantados.
O amor é o prêmio para quem relaxa.

“Não há tempo para a monotonia do previsível. Há tempo para o trabalho. E tempo para o amor. Isso nos toma todo o tempo.”

Gabriela Nery



Passos do matador


Para meu avô, Oswaldo. Que encontrou o amor, no momento em que desistiu da guerra.

Ouço os passos do matador, coragem, verdade, honra. Jamais olhar pra trais. Ser mais forte que o ódio, achava que nada podia ser mais forte que o ódio.
Da simplicidade e de todo rompimento com o ódio é que nascem os mais lindos artistas.
Sobreviver, vencer, perder, sempre me faz forte.
Acima o céu é azul, tudo aqui é cinza, mais não menos belo, os caminhos secos e de terra, e sempre temos que escolher para que lado seguir.
Quem nasceu primeiro a beleza ou o amor?
E sobre voar?
Seria tão simples se fosse mais leve, mais sóbrio, mais falho.
Isso porque amamos almas que dançam, sorrisos que ecoam música.
E se todos tem uma sina, que essa seja prazerosa e gloriosa.
E que seja breve a cegueira dos homens de coração duro, que não mudam quando cai a chuva.
Chumbo quente dilacerando seus corpos, Caatinga e sangue, separando, desarmonizando.
Aprenderemos com nossos antepassados, ouçam os passos dos matadores de tempos passados.
– Com um olho virado para o chão e o outro virado para o Sol, matei meu irmão, e acabei cego.
Agora, só ouço o mar, não ecos e passos. Só o mar.



segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Seios



O branco
todo alvo
realça na pele bronze

No alvo, círculo rosado
ao centro um olho
pedinte, esbugalhado

Todo ele na palma da mão
na minha mão encaixado
faminto se enrijece
sedento pede minha língua
afoito geme ao contato
feito coito alucinado

Os dois são felicidade
nas minhas  mãos e cuidados
bichos presos, enjaulados
não querendo liberdade

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Solos Tu Y Yo


Hoje, olho através de você, as ruas da minha Havana.
Tua tristeza e tua dor refletem suas fachadas.
É tua alma e solidão a voz desta nação
Cansada
Só você e eu, na cidade dormente.
Só você e eu, beijando as feridas.
Hay Havana
Cada vez se esquecia mais de ti, para apoiar meus sonhos
Mas sei que lastimei seu coração, brincando com teus.
Sentimentos
Foi a luz, essa que roubei deixando escuros os teus desejos, eh ,eh
Só você e eu, na cidade dormente.
Só você e eu, beijando as feridas.
Havana
E tenho que te deixar ir, pondo o mar entre os dois.
Pagando o preço de outros que vivem da
Contradição
Outra família que ficou marcada pela separação
Como lutar, com esse sol, com a política e com Deus.


SINOPSE

Habana Blues conta a história de Ruy (ALBERTO YOEL GARCÍA) e Tito (ROBERTO SANMARTÍN), dois jovens músicos cubanos que compartilham um sonho: o de se tornarem astros da música. O dilema e a tentação de uma oferta internacional para gravarem e se apresentarem fora de Cuba mudará suas vidas e seus relacionamentos com a família e os amigos. Situado no belo cenário de Havana, Habana Blues conduz o espectador por uma viagem turbulenta em que a fama e a ambição precisam enfrentar o embate com a dignidade, a amizade e o amor.


Ruy e Tito passaram anos trabalhando em função de seu sonho comum: o de se tornarem músicos famosos. Sua música transformou-se na trilha sonora do relacionamento próximo e entusiasmado de seu grupo de amigos.
Tito mora com a avó, uma grande dama da música, elegante e única. Ruy, por sua vez, mora com a mãe de seus dois filhos, Caridad (YAILENE SIERRA), uma jovem batalhadora que sustenta a família vendendo artesanato. Eles lutam contra o fim do relacionamento com a ajuda e o incentivo dos amigos.

Tudo muda quando uma dupla de produtores espanhóis vai a Cuba e descobre o talento extraordinário de Ruy e Tito. Os músicos cubanos conduzem os europeus por uma excursão pela cena musical alternativa em Havana e recebem a oferta para assinar contrato com uma gravadora, sob a condição de irem para a Espanha. Os dois, então, ficam diante de um dilema: serão capazes de deixar para trás aqueles que amam e perseguir o sonho que pode significar o comprometimento de sua integridade musical?


En Todas Partes


La amistad es una semilla
Que brota en cualquier lugar,
Y cuando sientas frio
Cúbrete con las ramas de mi destino
Donde te lleven los pasos
Te encontrarás mi te quiero y mi abrazo
Hay amor en todas partes
Y en cada rincon del mundo
Y todos buscando un sueño
Cambiamos así de rumbo
Si profunda es la distancia
Profunda es la lejania
En un alma peregrina
No existe ciudadania
La bandera es un dilema, la patria y la geografía
Donde quiera que me encuentre
Yo siento que es tierra mia

Tuya y mía
Yo quiero ser tu abrigo
Si te hace falta el consuelo mio
Yo quiero ser tu nido
Si necesitas cariño mio
No quiero ser tu olvido
Si en todas partes estoy contigo
Yo quiero ser tu abrigo
En madrid y en nueva york
La habana esta en todas partes
Porque la llevas contigo
Sin miedo a desarraigarte
Yo sé que existen fronteras
En todos los continentes
Un sólo sol y una luna te ciudan y alumbran siempre
Quisiera ser la mañana y entonar la melodia
Esa que me hace crecer cada día
Caminos que me separan
Y te obligan a escondidas
A ser cautivos de idiomas e ideologías
No seas cautivo de idiomas e ideologías
Aquí mismito yo estoy contigo.


sábado, 1 de outubro de 2011

All we need is LOVE...

"Gosto do que me tira o fôlego. Venero o improvável. Almejo o quase impossível. Meu coração é livre, mesmo amando tanto. Tenho um ritmo que me complica. Uma vontade que não passa. Uma palavra que nunca dorme. Quer um bom desafio? Experimente gostar de mim. Não sou fácil. Não coleciono inimigos. Quase nunca estou pra ninguém. Mudo de humor conforme a lua. Me irrito fácil. Me desinteresso à toa. Tenho o desassossego dentro da bolsa. E um par de asas que nunca deixo. Às vezes, quando é tarde da noite, eu viajo. E - sem saber - busco respostas que não encontro aqui. Ontem, eu perdi um sonho. E acordei chorando, logo eu que adoro sorrir... Mas não tem nada, não. Bonito mesmo é essa coisa da vida: um dia, quando menos se espera, a gente se supera. E chega mais perto de ser quem, na verdade, a gente é."