quinta-feira, 21 de outubro de 2010

GAIVOTAS

Quero fazer uma confissão esta noite
porque a noite e a rua foram jantar juntas.
Quero dizer que amo uma mulher
cujo corpo não me dá
o seu calor esta noite,
cuja ausência é um ronsel laranja.
Quero dançar com minha sombra
para que o seu rumor chegue até ela
e ela saiba que eu lhe dou a noite,
toda senhora.
Quero escrever coisas que não se esvaeçam
com o sol,
que a chuva as faça flores
que cheirem a ela.
Quero que as minhas mãos voem,
voem em silêncio
onde ela guarda os seus sonhos...
sonhos que me pertencem
porque eu lhe pertenço.
Quero que ela fique, fique sempre,
quero ser a sua voz
quero ser o seu sorriso verde,
quero ser a sua chuva no cabelo,
quero amá-la mais do que ninguém
ama ninguém.
Quero dizer-lhe, aqui e agora, que a amo
com a minha voz baixa,
com o meu ar de outono lento,
com o meu sabor de beijos possíveis.
Quero que os pássaros sejam
os meus mensageiros de saudade.
Quero que o mundo comece quando ela vir.
Quero sonhar acordado com o seu tato entre as
minhas mãos
a percorrer ela em silêncio o meu peito
e acordar com ela junto de mim,
calada e doce.
Quero só eu dizer-lhe sentimentos
que aceleram o coração,
o seu coração apaixonado,
eu gosto da sua timidez.
Quero nadar na sua boca sem horizontes.
Quero os versos todos do planeta
a falarem dela,
versos curtos de violetas, versos firmes de cravos, versos perfumados de rosas.  Quero suster os seus pés no ar
e trazer ao seu peito gaivotas fiéis
que sempre deixam pegadas na praia.
Quero ser eu no seu corpo da alva ao sol-pôr, de lua a lua de eternidade a eternidade.
Quero amá-la até o meu último alento.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

O que faz você feliz?


 



























"O que faz você feliz?




A Lua, a Praia é o Mar, uma Rua, passear, um doce, uma dança, um beijo, ou goiabada com queijo.


afinal o que faz você feliz?


Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde, arroz com feijão, matar a saudade, o aumento, a casa, o carro que você sempre quis, ou são os sonhos que te fazem feliz?


Dormir na rede, matar a sede, ler, ou viver um romance?


O que faz você feliz?


Um lápis, uma letra, uma conversa boa, um cafuné, café com leite, rir a toa, um pássaro, um parque, um chafariz, ou será um choro que faz você feliz?


A pausa para pensar, sentir o vento, esquecer o tempo, o Céu, o Sol, um som, a pessoa ou o lugar.


Agora me diz o que faz você feliz?"


Ps: Sim, eu sei que é propaganda de Supermercado, mas é o Arnaldo. Assiste ai, e vamos ser felizes, já tá na hora. Dá um click no link, aumenta o volume e aproveita.
http://www.youtube.com/watch?v=JoYT8TH_ckY

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

ME PERCO...

PERDI-ME MUITAS VEZES PELO MAR

COM O OUVIDO CHEIO DE FLORES MAL RECÉM-CORTADAS

COM A LINGUA, CHEIA DE AMOR E AGONIA...

MUITAS VEZES ME PERDI PELO MAR

COMO ME PERCO NO CORAÇÃO DE ALGUMAS MENINAS

PORQUE AS ROSAS BUSCAM EM FRENTE

UMA DURA PAISAGEM DE OSSO

E AS MÃOS DO HOMEM NÃO TEM MAIS SENTIDO

QUE IMITAR A RAÍZES SOBRE A TERRA

COMO ME PERCO NO CORAÇÃO DE ALGUMAS MENINAS

PERDI-ME MUITAS VEZES NO MAR

IGNORANTE DA ÁGUA
VOU BUSCANDO UMA MORTE DE LUZ QUE ME CONSUMA

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

PARA A PEQUENA MARIA

















Não havia nenhuma testemunha no dia que entreguei minhas armas e dancei com um anjo.

No dia que chorei, porque estava cansado de mais pra lutar.

Vou levá-la a um lugar que tenha muitas árvores, e que em uma ou duas, possamos confiar, deitar em sua sombra e dormir.

Outras possamos ser cúmplices e de vez em quando tirar uma fruta para comer e brincar de Pique-esconde, e em cima delas, desaparecer.

Não um desaparecer de verdade, igual de quando eu escondia os olhos e perdia a consciência.

Um desaparecer igual de quando você entrou debaixo da cama, pra fugir do silêncio.

Não precisa ter medo, a gente ainda pode cantar. E existe também o silêncio bom.

Eu vou chegar à noitinha, e só hoje você pode dormir um pouco mais tarde.

Eu te empresto meus sonhos. Até você ter os seus, e mais tarde posso te dar alguns, se você quiser e se couberem nos seus sonhos.

É tarde! Vou dormir agora, na lua que vamos morar um dia, ouvindo os sons de suas brincadeiras.

Amanhã vai ser um dia cheio. Precisamos ir à praia, andar de avião, comprar um cachorro amigo e um colar bem comprido de sementes.

Tem uma nova peça de uns amigos, que fala de criança, Se você não dormir, a gente vai.

Peixinho dourado? Não sei. Passarinho tem que ser livre, claro! E se fizer sol, a gente abre a capota sim. 

domingo, 3 de outubro de 2010

A CARTA





Querida LL, se estiver lendo isto, significa que eu tive coragem de enviar.

Então, ponto pra mim.

Você não me conhece bem, mas, se quer saber, não consigo parar de falar sobre como escrever é difícil para mim.

Mas isto...

Isto é a coisa mais difícil que já tive de escrever.

Não é muito fácil.

Então, vou simplesmente falar.

Conheci alguém.

Foi por acaso.

Não era minha intenção.

Não estava nos planos.

Foi uma tempestade perfeita.

Ela disse uma coisa, eu disse outra.

De repente, soube que queria passar o resto da vida naquela conversa.

Agora, tenho essa sensação no peito.

Que pode ser ela.

Ela é completamente louca, de um modo que me faz sorrir.

Precisa de muita atenção.

Altamente Curiosa.

Muito exigente.

E ela é você, LL.

Essa é a boa notícia.

A má é que não sei como ficar com você agora.

E isso me deixa apavorado.

Porque se eu não ficar com você agora, sinto que vamos nos perder por aí.

É um mundo grande, malvado, cheio de reviravoltas, e as pessoas piscam e deixam o momento passar, o momento que poderia ter mudado tudo.

Não sei o que há entre nós.

E não sei por que você deveria se arriscar e desperdiçar sua fé com gente como eu.

Mas você cheira tão bem, cheiro de lar.

E faz um café excelente.

Isso conta alguma coisa, Não é?

Me liga.