sábado, 24 de dezembro de 2011

DOCE LAR


"Leve-me ao seu coração

Sinta-me em seus ossos.

Só mais uma noite e vou embora

Dessa longa e turbulenta estrada,

Estou a caminho Hoje à noite,

estou a caminho do meu doce, doce lar.

Você sabe posso criar sonhos românticos.

Às vezes, nada parece me ajudar.

Apenas liberte-me,

Estou a caminho, do meu doce, doce lar".

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

EU ME LEMBRO DE VOCÊ


“Acordei com o barulho da chuva
Quando o vento sussurrou pensei em você
E sempre que chorava chamava meu nome
Quando precisou de mim vim correndo
Pintei um quadro do passado
O amor era cego e você me fazia enxergar
Ficaria a vida inteira te olhando
Sabia que podia contar com você
Sempre pude contar com você
Lembra quando andávamos de mãos dadas?
E escrevíamos cartas de amor na areia?
Eu me lembro de você
De todas as noites sem dormir 
De todos os dias intermináveis
Quero te ouvir dizer:
- Eu me lembro de você”

ME PERCO...


"PERDI-ME MUITAS VEZES PELO MAR

COM O OUVIDO CHEIO DE FLORES MAL RECÉM-CORTADAS

COM A LINGUA, CHEIA DE AMOR E AGONIA...

MUITAS VEZES ME PERDI PELO MAR

COMO ME PERCO NO CORAÇÃO DE ALGUMAS MENINAS

PORQUE AS ROSAS BUSCAM EM FRENTE

UMA DURA PAISAGEM DE OSSO

E AS MÃOS DO HOMEM NÃO TEM MAIS SENTIDO

QUE IMITAR A RAÍZES SOBRE A TERRA

COMO ME PERCO NO CORAÇÃO DE ALGUMAS MENINAS

PERDI-ME MUITAS VEZES NO MAR

IGNORANTE DA ÁGUA

VOU BUSCANDO UMA MORTE DE LUZ QUE ME CONSUMA"

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

À minha linda e querida filha.



"Estou escrevendo uma carta.
Isso mesmo, uma boa e velha carta.
É uma arte perdida,
Como toca-discos e polaroides.
Tenho uma confissão a fazer.
Não gostei muito de você no começo.
Era uma bolinha irritante.
Você cheirava bem,
Na maior parte do tempo.
Mas não se interessava muito por mim.
Que, Claro, achei muito insultante.
Era apenas você e sua mãe contra o mundo.
Engraçado como algumas coisas nunca mudam.
Então fiquei na minha, me fazendo de desentendido.
Sem entender como ser pai pode mudar alguém.
Não lembro exatamente quando tudo mudou...
Só sei que mudou.
Num minuto eu era impenetrável.
Nada poderia me tocar.
No próximo, meu coração estava desprotegido...
Totalmente exposto.
Amá-la foi a experiência mais intensa e dolorosa da minha vida.
Na verdade, é quase demais para mim.
Como seu pai, prometi protege-la do mundo...
Sem perceber que seria eu quem a mais magoaria.
Quando penso no futuro, meu coração se parte...
Pois não consigo imaginá-la falando de mim com orgulho.
Como poderia?
Seu pai é uma criança no corpo de um pai.
Ele não liga para nada e tudo ao mesmo tempo.
Nobre, teoricamente.
Mas plebeu, na prática.
Algo tem que mudar.
Alguém tem que ceder.
Está ficando escuro.
Escuro demais para ver."

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

EU VOU, SE VOCÊ PEDIR.

"Esta casa guarda segredos.

O meu dinheiro está atrás da cama,

Em uma lata de café jogo minhas moedas,

Caso tenha que partir.

E eu vou,

Se você me pedir.

Duvido que vá me deixar ficar.

Se eu for vou enlouquecer.

Deixo a Minha amada me guiar."

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

IN MY LIFE


There are places I remember all my life,

Though some have changed,

Some forever, not for better,

Some have gone and some remain.


All these places had their moments

With lovers and friends I still can recall.

Some are dead and some are living.

In my life I've loved them all.


But of all these friends and lovers,

There is no one compares with you,

And these memories lose their meaning

When I think of love as something new.


Though I know I'll never lose affection

For people and things that went before,

I know I'll often stop and think about them,

In my life I'll love you more.


Though I know I'll never lose affection

For people and things that went before,

I know I'll often stop and think about them,

In my life I'll love you more.

In my life I'll love you more.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

AME COM CORAGEM

Uma mulher não perdoa uma única coisa no homem:

que ele não ame com coragem.



Pode ter os maiores defeitos, atrasar-se para os compromissos ...

Qualquer coisa é admitida, menos que não ame com coragem.



Amar com coragem não é viver com coragem.

É bem mais do que estar aí.



Amar com coragem não é questão de estilo, de opinião.

Amar com coragem é caráter.


Vem de uma incompetência de ser diferente.


Amar para valer, para dar torcicolo.



Não encontrar uma desculpa ou um pretexto para se adaptar.

Não usar atenuantes como “estou confuso”.


Amar com fúria, com o recalque de não ter sido assim antes.


Amar decidido, obcecado,


como quem troca de identidade e parte a um longo exílio.


Amar como quem volta de um longo exílio.


Amar quase que por, por bebedeira,


Amar desavisado . Amar desatinado, pressionando,



a amar mais do que é possível lembrar.

Amar com coragem, só isso.


Fabrício Carpinejar

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A EXTRAORDINÁRIA BORBOLETA


"O AMOR É O RIDÍCULO DA VIDA...
A GENTE PROCURA NELE UMA PUREZA IMPOSSÍVEL...
UMA PUREZA QUE ESTÁ SEMPRE SE PONDO... INDO EMBORA
A VIDA VEIO E ME LEVOU COM ELA...
SORTE É SE ABANDONAR E ACEITAR ESSA VAGA IDEIA DE PARAÍSO QUE NOS PERSEGUE...
BONITA E BREVE...
COMO BORBOLETAS QUE SÓ VIVEM VINTE QUATRO HORAS...
MORRER NÃO DÓI..."

CAFAJESTE


Olha, dizem que a pior espécie de homem são os cafajestes, o dicionário define cafajeste de uma forma ruim... Define como APROVEITADOR... Define como PILANTRA... Pois aos poucos conquista e ou nem percebe... Mas me desculpe os autores do dicionário... Pois o nosso CAFAJESTE não tem nada a ver com essas definições... Define-se como o cafajeste adorável... Ser cafajeste não é defeito, e nada mais gostoso é ser chamado de CAFAJESTE por uma mulher... Não é o cafajeste " cafajeste "... Mas sim o CA-FA-JES-TE... É o único, incomparável, insubstituível... Sem definições é "O CAFAJESTE"... Digamos que o Cafajeste é o pós-graduado do sem-vergonha, mais não é o cafajeste cochorrão, aquele que abandona a mulher, mais sim aquele que sabe administrar todas. Na verdade já foi comprovado, os cafajestes na sua maioria são administradores...



Pois demonstra que esse CAFAJESTE é difícil de conter, é amado, é querido, é amigo, é verdadeiro, é lindo... Pois a beleza é primordial aos CAFAJESTES... O CAFAJESTE é o nível máximo de todas as categorias, pois o cafajeste nunca se envolve, não anda de mão dada, e não utiliza de bens matérias para impressionar uma garota. Usa suas viagens, o ar misterioso é o charme, o cafajeste já se antecipa que não presta... Falando nisso, cafajeste não mente. Se disser que vai jogar futebol, joga. Questionado se sai com outras, abre o jogo. Quando diz que a garota é especial, é porque ela é... O cafajeste nunca se envolve com a mulher de algum amigo ou cara bacana... Cafajeste não tem medo de nenhuma mulher.

Resumindo ser CAFAJESTE É PARA POUCOS... E O VERDEIRO CAFAJESTE AMA TAMBÉM.

domingo, 13 de novembro de 2011

A VACA


SOU DA GERAÇÃO DO DESBUNDE!

NUNCA TIVE SACO PRA MILICO, DESFILE GENTE COM MEDO...
TODO MUNDO FICAVA PARALISADO MUDO ANESTESIADO...
NÃO DAVA PRA FINGIR QUE NÃO TINHA NADA!
PRA MUDAR ALGUMA COISA, A GENTE TEVE QUE GRITAR, SE DROGAR
IR PRA RUA... E ENFRENTAR NOSSA PRÓPRIA FRAQUESA ERA UMA MANEIRA DE NÃO SE RENDER... E NÃO FICAR CARECA, CARETA...

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O haver


Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura
Essa intimidade perfeita com o silêncio
Resta essa voz íntima pedindo perdão por tudo- Perdoai-os!
porque eles não têm culpa de ter nascido...
Resta esse antigo respeito pela noite, esse falar baixo
Essa mão que tateia antes de ter, esse medo
De ferir tocando, essa forte mão de homem
Cheia de mansidão para com tudo quanto existe.
Resta essa imobilidade, essa economia de gestos
Essa inércia cada vez maior diante do Infinito
Essa gagueira infantil de quem quer exprimir o inexprimível
Essa irredutível recusa à poesia não vivida.
Resta essa comunhão com os sons, esse sentimento
Da matéria em repouso, essa angústia da simultaneidade
Do tempo, essa lenta decomposição poética
Em busca de uma só vida, uma só morte, um só Vinicius.
Resta esse coração queimando como um círio
Numa catedral em ruínas, essa tristeza
Diante do cotidiano; ou essa súbita alegria
Ao ouvir passos na noite que se perdem sem história.
Resta essa vontade de chorar diante da beleza
Essa cólera em face da injustiça e o mal-entendido
Essa imensa piedade de si mesmo, essa imensa
Piedade de si mesmo e de sua força inútil.
Resta esse sentimento de infância subitamente desentranhado
De pequenos absurdos, essa capacidade
De rir à toa, esse ridículo desejo de ser útil
E essa coragem para comprometer-se sem necessidade.
Resta essa distração, essa disponibilidade, essa vagueza
De quem sabe que tudo já foi como será no vir-a-ser
E ao mesmo tempo essa vontade de servir, essa
Contemporaneidade com o amanhã dos que não tiveram ontem nem hoje.
Resta essa faculdade incoercível de sonhar
De transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade
De aceitá-la tal como é, e essa visão
Ampla dos acontecimentos, e essa impressionante
E desnecessária presciência, e essa memória anterior
De mundos inexistentes, e esse heroísmo
Estático, e essa pequenina luz indecifrável
A que às vezes os poetas dão o nome de esperança.
Resta esse desejo de sentir-se igual a todos
De refletir-se em olhares sem curiosidade e sem memória
Resta essa pobreza intrínseca, essa vaidade
De não querer ser príncipe senão do seu reino.
Resta esse diálogo cotidiano com a morte, essa curiosidade
Pelo momento a vir, quando, apressada
Ela virá me entreabrir a porta como uma velha amante
Mas recuará em véus ao ver-me junto à bem-amada...
Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo
Infantil de ter pequenas coragens.
 
Vinícius de Moraes

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O gigante não esta mais adormecido - Da serie: (PUBLICITÁRIOS ADORAM A HORA DO COMERCIAL)

No início dos tempos, na parte sul das Américas, habitava um gigante. Um dos poucos que andavam sobre a Terra.
Gigante pela própria natureza, e sendo natureza ele próprio, era feito de rochas, terra e matas, que moldavam sua figura. Pássaros e bichos pousavam e viviam em seu corpo e rios corriam em suas veias. Era como um imenso pedaço de paisagem que andava e tinha vontade própria.
Caminhava com passadas vastas como vales e tinha a estatura de montanhas sobrepostas. Ao norte, em seu caminho, encontrava sol quente e brilhante nas quatro estações do ano. Ao sul, planaltos infindáveis. A oeste, planícies e terras cheias de diversidade. E a leste, quilômetros e quilômetros de praias onde o mar tocava a terra gentilmente, desde sempre. Havia também uma floresta como nenhuma outra no planeta. Tão grande, verde e viva que funcionava como o pulmão de todo o continente à sua volta.
Mesmo diante de tudo isso, um dia, enquanto caminhava, o gigante se inquietou. 
Parou então à beira-mar e ali, entre as águas quentes do Atlântico e uma porção de terra que subia em morros, deitou-se. E, deitado nesse berço esplêndido, olhou para o céu azul acima se perguntando: "O que me faz gigante?". 
Em seguida, imaginando respostas, caiu em sono profundo.
Por eras, que para os gigantes são horas, ele dormiu. Seu corpo gigantesco estirado, o joelho dobrado formando um grande monte, uma rocha imensa denunciando seu torso titânico e a cabeça indizível, coberta de árvores e limo. 
Dormiu até se tornar lenda no mundo. Uma lenda que dizia que o futuro pertencia ao gigante, mas que ele nunca acordaria e que o futuro seria para ele sempre isso: futuro. 
No entanto, com o passar do tempo ficou claro que nem mesmo as lendas devem dizer "nunca".
Depois de muito sonhar com a pergunta sobre si, o gigante finalmente despertou com a resposta.
Acordou, ergueu-se sobre a terra da qual era parte e ficou de frente para o horizonte. 
Tirou então um dos pés do chão e, adentrando o mar, deu um primeiro passo.
Um passo decidido em direção ao mundo lá fora para encontrar seu destino.
Agora sabendo que o que o faz um gigante não é seu tamanho, mas o tamanho dos passos que dá.

Não deixem de ver o comercial principal da campanha, criada pela Neogama/BBH.



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Aprenda com os cães



Se um cão fosse seu professor, você aprenderia coisas assim: 
Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro.
Nunca perca uma oportunidade de ir passear de carro. 
Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto. 
Mostre aos outros que estão invadindo o seu território. 
Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar. 
Corra, pule e brinque todos os dias. 
Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem. 
Não morda quando um simples rosnado resolve a situação. 
Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore. 
Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo. 
Não importa quantas vezes o outro te magoa, não se sinta culpado...volte e faça as pazes novamente. 
Aproveite o prazer de uma longa caminhada. 
Se alimente com gosto e entusiasmo. 
Coma só o suficiente. 
Seja leal. 
Nunca pretenda ser o que você não é. 
Se você quer se deitar embaixo da terra, cave fundo até conseguir.
E o mais importante de tudo... Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silêncio, fique por perto e Mostre que você está ali para confortar. 
A amizade verdadeira não aceita imitações!



terça-feira, 11 de outubro de 2011

Os nus e os mortos

“As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas”. Norman Mailer. Copiem. Decorem. Aprendam.

Temos a mania de achar que amor é algo que se busca. Buscamos o amor em bares, buscamos o amor na internet, buscamos o amor na parada de ônibus. Como num jogo de esconde-esconde, procuramos pelo amor que está oculto dentro das boates, nas salas de aula, nas plateias dos teatros. Ele certamente está por ali, você quase pode sentir o seu cheiro, precisa apenas descobri-lo e agarrá-lo o mais rápido possível, pois só o amor constrói, só o amor salva, só o amor traz felicidade.
Amor não é medicamento. Se você está deprimido, histérico ou ansioso demais, o amor não se aproximará, e, caso o faça vai frustrar suas expectativas, porque o amor quer ser recebido com saúde e leveza, ele não suporta a idéia de ser ingerido de quatro em quatro horas, como antibiótico para combater as bactérias da solidão e da falta de autoestima. Você já ouviu muitas vezes alguém dizer:
“Quando eu menos esperava, quando eu havia desistido de procurar, o amor apareceu”.
Claro, o amor não é bobo, quer ser bem tratado, por isso escolhe as pessoas que, antes de tudo, tratam bem de si mesmas.

“As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas”. Norman Mailer. Divulguem. Repitam. Convençam-se.     

O amor, ao contrário do que se pensa, não tem que vir antes de tudo: antes de estabilizar a carreira profissional, antes de viajar pelo mundo, de curtir a vida.
Ele não é uma garantia de que, a partir do seu surgimento, tudo o mais dará certo.
Queremos o amor como pré-requisito para o sucesso nos outros setores, quando na verdade, o amor espera primeiro você ser feliz para só então surgir diante de você sem máscaras e sem fantasia.
É esta a condição. É pegar ou largar.
Para quem acha que isso é chantagem, arrisco sair em defesa do amor: ser feliz é uma exigência razoável e não é tarefa tão complicada.
Felizes aqueles que aprendem a administrar seus conflitos, que aceitam suas oscilações de humor, que dão o melhor de si e não se autoflagelam por causa dos erros que cometem.
Felicidade é serenidade. Não tem nada a ver com piscinas, carros e muito menos com príncipes encantados.
O amor é o prêmio para quem relaxa.

“Não há tempo para a monotonia do previsível. Há tempo para o trabalho. E tempo para o amor. Isso nos toma todo o tempo.”

Gabriela Nery