segunda-feira, 20 de junho de 2011

O RIO VELHO E OS BEBES ALADOS E DOCES

Ler você. Sensualidade, perturbação, Sonho, pureza. O Caos mais lindo, caos que transforma-se em Éden outrora. Tem dias que quero te abraçar por horas, e outros sair sem destino com você por ai, janelas abertas pra ver o Sol queimando no ar, ou até perseguir o rastro do seu cheiro estonteante, na Lua que ando em meus sonhos.
No radio Stones, andar depressa para ultrapassar o frio, diluir a madrugada no Bourbon sem gelo. Pensei ter visto o reflexo de seus olhos molhados no retrovisor, vertigem de quem gosta de ficar sozinho, conectar-se com o desejo, só se for de verdade, só se for o destino, que transforma mal, desprezo e medo, em tudo que já não faz mas nenhuma diferença. Toda dor terá fim, quando a maciez dos lábios for finalmente revelada, quando todo gozo for compartilhado generosamente, seu suor derreter a prata no meu peito e a angústia sutilmente nos tornará mais sábios, mais lindos e escorrera como areia de Rio velho nas pequenas mãos dos bebes alados e doces. Nos fará escrever, não nos deixará fracos, desprovidos e frágeis.
Acreditar na vida no que é eterno, no que nos deixa mais fortes para cumprir missões, que nos afasta dos patéticos de alma pequena que não sabem reconhecer e transformar um único, mesmo que mínimo instante, em quase tudo.
Minhas mãos precisam penetrar seus cabelos e trazer seu rosto pra perto do meu, e o vento suster seu olhar por quatro segundos, seu ventre ser minha casa, suas pernas estrada para o mar, seu grito de prazer, minha alforria.     

segunda-feira, 13 de junho de 2011

“ESTAR PERDIDO ÀS VEZES É CAMINHO”.


Falava com ela ao telefone enquanto esperava no aeroporto. Podia senti-la, ver seus olhos naquela voz. Aquele olhar de despedidas descabidas, de eternos, “Vou embora”. O olhar que embreaga, olhar que fulmina e só deixa espaço para desejos inflamáveis. Desejos inofensivos não interessam. Só minha língua explode, confunde as horas, desanda o ciclo dos lábios mágicos. A necessidade incontrolável de beijar a flor úmida, mais linda e cheirosa. Bebo o Merlot, saboreio vento, devoro ombros, caminho sobre folhas espelhadas que refletem a luz, e destacam os poucos e quase que imperceptíveis pelos claros, que cobrem a pele âmbar e alva da curva das costas. Rosados seios rosa. Minha boca faminta, desesperada pra sentir os sabores do Mundo todo. Perdido mais uma vez na cidade improvisada. Não tenho paz, nem oceano. Moças com seios implacáveis, que não têm nada a dizer, as bocas se movem, mas nada ouço. Só a voz dela ecoa na cidade destruída e encenada.
“- Estar perdido às vezes é caminho”.
- Ela disse.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

PROJETO DE LEI 5003/2001 (PLC 122/2006)

O Ser Humano e uma Sociedade, tornam-se melhores, mais justos, a partir do momento que conseguem superar seus preconceitos, fatos que algumas pessoas ignoram, e que tornam a vida de outras pessoas mais difíceis, a ignorância da fé cega, ideologias sem fundamento, sem vivencias, e de limitados conceitos culturais. Os que gritam mais alto, geralmente são os que não leram os textos.
“-Só passei o olho, mas...” - Dizem eles.
As pessoas com medo são as mais perigosas, porque aqueles que têm medo são regidos por um provérbio, que fez parte da minha vida muito tempo, “A melhor defesa é o ataque”. Por isso falo por experiência própria, de como pode ser perigoso esse medo. Não sou contra o instinto, alguns devem ser preservados, não podemos deixar de reconhecer que somos animais, parentes dos macacos, o que os fanaticos, ignorantes e manipulados, insistem em negar.
Negar a Ciência é uma estratégia de manter pessoas fracas sob domínio de uma minoria que lucra com o mercado da Fé. Por isso tantos Iluministas foram perseguidos. A ciência foi a iluminação para as trevas da ignorância. Agora eles, os fanaticos, estão confusos, andam de um lado para o outro, a hipocrisia reina, eles tem medo. Não entendem o Livro, DEUS não fala com eles.
JESUS não acreditava na resignação completa, mas queria vencer, sem enfrentamento, sem violência, e ele venceu. Ghandhy foi um dos maiores difusores desse movimento criado por JESUS que na língua Hindú e conhecido como Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto) como um meio de revolução, e ele também venceu, Mandela venceu, Dr. King venceu. Eles entenderam, o que JESUS queria, eles entenderam o Livro.

Observação: Antes de dizer: “-Só passei o olho, mas”..., e de protestarem contra A PLC 122 ao lado de Skinheads, que são criminosos e dizer de boca cheia pra todo mundo que estão fazendo história com atos ignorantes, leiam com atenção a lei na integra abaixo:


 PROJETO DE LEI 5003/2001 (PLC 122/2006) SUBSTITUTIVO ADOTADO - CCJC
Altera a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor, dá nova redação ao § 3, do art. 140, do Decreto-Lei n 2.848, de 7 de dezembro de 1940— Código Penal — e ao art. 5º, da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e dá outras providências.

O Congresso Nacional decreta

Art. 1º Altera a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, definindo os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero. Art. 2º A ementa da lei passa vigorar com a seguinte redação: “Define os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero (NR)” Art. 3º O artigo 1º, da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passam a vigorar com a seguinte redação: “Art. 1º Serão punidos, na forma desta lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero. (NR)” Art. 4º A Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 4º: “Art. 4º Praticar o empregador ou seu preposto, atos de dispensa direta ou indireta. Pena: reclusão de dois a cinco anos.” Art. 5º Os artigos 5º, 6º e 7º, da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passam a vigorar com a seguinte redação: “Art. 5º Impedir. recusar ou proibir o ingresso ou permanência em qualquer ambiente ou estabelecimento público ou privado, aberto ao público; Pena — reclusão de um a três anos” “Art. 6º Recusar, negar. impedir, preterir, prejudicar retardar ou excluir em qualquer sistema de seleção educacional, recrutamento ou promoção funcional ou profissional. Pena — reclusão de três a cinco anos” “Art. 7º Sobretaxar, recusar, preterir ou impedira hospedagem em hotéis, motéis, pensões ou similares; Pena — reclusão de três a cinco anos” Art. 6º A Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 7º ‘Art. 7º Sobretaxar recusar, preterir ou impedir a locação, a compra, a aquisição, o arrendamento ou empréstimo de bens móveis ou imóveis de qualquer finalidade; Pena: reclusão de dois a cinco anos.” Art. 7° A Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passa a vigorar acrescida dos seguintes art. 8º-A e 8º-B: “Art. 8º-A. Impedir ou restringir a expressão e a manifestação de afetividade em locais públicos ou privados abertos ao público, em virtude das características previstas no artigo 1º; Pena: reclusão de dois a cinco anos.” “Art. 8º-B. Proibir a livre expressão e manifestação de afetividade do cidadão homossexual, bissexual ou transgênero, sendo estas expressões e manifestações permitidas ao demais cidadãos ou cidadãos. Pena: reclusão de dois a cinco anos.” Art. 8º Os artigos 16 e 20, da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passam a vigorar com a seguinte redação: “Art. 16. Constitui efeito da condenação; I - a perda do cargo ou função pública. para o servidor público; II - inabilitação Para contratos com órgãos da administração pública direta, indireta ou fundacional; III — proibição de acesso a créditos concedidos pelo Poder Público e suas instituições financeiras, ou a programas de incentivo ao desenvolvimento por estes instituídos ou mantidos; IV — vedação de isenções, remissões, anistias ou quaisquer benefícios de natureza tributária. V— multa de até 10.000 (dez mil) UFIRs, podendo ser multiplicada em até 10 (dez) vezes em caso de reincidência, e levando-se em conta a capacidade financeira do infrator. VI — suspensão do funcionamento dos estabelecimentos por prazo não superior a três meses. § l º Os recursos provenientes das multas estabelecidas por esta lei, serão destinados para campanhas educativas contra a discriminação. § 2º Quando o ato ilícito for praticado por contratado, concessionário, permissionário da Administração Pública, além das responsabilidades individuais será acrescida a pena de rescisão do instrumento contratual do convênio ou da permissão. § 3º Em qualquer caso, o prazo de inabilitação será de doze meses contados da data da aplicação da sanção. § 4º As informações cadastrais e as referências invocadas como justificadoras da discriminação serão sempre acessíveis a todos aqueles que se sujeitarem a processo seletivo, no que se refere à sua participação. (NR)”
“Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero. .......................................
§ 5º O disposto neste artigo envolve a prática de qualquer tipo de ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória, de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica; (NR)” Art. 9º A Lei nº.71 6, de 5 de janeiro de 1989, passa a vigorar acrescida dos seguintes arts. 20-A e 20-B: “Art. 20-A. A prática dos atos discriminatórios a que se refere esta lei será apurada em processo administrativo e pena), que terá início mediante: I - reclamação do ofendido ou ofendida; II – ato ou oficio de autoridade competente; III - comunicado de organizações não governamentais de defesa da cidadania e direitos humanos.” “Art. 20-B. A interpretação dos dispositivos dessa lei e de iodos os instrumentos normativos de proteção do direitos de igualdade, de oportunidade e de tratamento, atenderá ao princípio da mais ampla proteção dos direitos humanos. § 1º Nesse intuito, serão observados, além dos princípios e direitos previstos nessa lei, todas disposições decorrentes de tratados ou convenções internacionais das quais o Brasil seja signatário, da legislação interna e das disposições administrativas. § 2º Para fins de interpretação e aplicação dessa lei, serão observadas, sempre que mais benéficas em favor da luta antidiscriminatória, as diretrizes traçadas pelas Cortes Internacionais de Direitos Humanos, devidamente reconhecidas pelo Brasil.” Art. 10. O § 3º, do art. 140, do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 — Código Penal, passa a vigorar com a seguinte redação: ‘Art.140 .......................................................................
§ 3º Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero, ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: Pena — reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos e multa (NR)” Art. 11.0 Artigo 5º, da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único: “Art. 5º ............................................................:
Fica proibida a adoção de qualquer prática discriminatória e limitativa para efeito de acesso a relação de emprego, ou sua manutenção, por motivo de sexo, orientação sexual e identidade de gênero, origem, raça, cor, estado civil, situação familiar ou idade, ressalvadas, neste caso, as hipóteses de proteção ao menor previstas no inciso XXXIII do art.7º da Constituição Federal.” Art.12. Esta lei entrará vigor na data de sua publicação. Sala da Comissão, 3 de agosto de 2005.— Deputado Antonio Carlos Biscaia Presidente